224

Ilustração: FP Rodrigues

O demônio favorito

Por Tércia Montenegro

“Diários”, de Sylvia Plath, levam o leitor à intimidade, ao interior do pensamento privado, sem disfarce ficcional

Lima Barreto, autor de Recordações do Escrivão Isaías Caminha

Manifesto Brasil

Por RAIMUNDO CARRERO

A literatura como forma de resistir à barbárie

Ilustração: Teo Adorno

O escritor fantasmo

Por NELSON DE OLIVEIRA

Tenho três escritores fantasmos de estimação, que me assombram regularmente

Mircea Cartarescu, autor de Nostalgia

Geografia transcendente

Por Luis S. Krausz

Prosa do romeno Mircea Cartarescu recupera a dimensão mítica da consciência e constrói mundos próprios

Carlos Drummond de Andrade, autor de Uma forma de saudade

A máquina de sofrer

Por MIGUEL SANCHES NETO

Drummond enterra entes queridos. Não é mais literatura, é a vida

Luiz Felipe Leprevost, autor de Tudo urge no meu estar tranquilo

Insurgências da poesia na cidade

Por Cristiano de Sales

Poemas de Luiz Felipe Leprevost evidenciam o desequilíbrio das forças que nos cercam e (des)unem

Ilustração: Thiago Lucas

Gagueira e alegria

Por JOSÉ CASTELLO

Conhecido por seu canto forte e decidido, a ideia de um galo gago é cômica, mas também dolorosa

Carlos Marighella, autor de Minimanual do Guerrilheiro Urbano

Minimanual do guerrilheiro urbano: leituras e prismas (5)

Por JOÃO CEZAR DE CASTRO ROCHA

Marighella atribuía grande importância ao militante que fosse um motorista de habilidade comprovada

Henrik Ibsen , autor de Espectros

A liberdade na ribalta

Por Helena Carnieri

Quatro peças de Henrik Ibsen salientam sua defesa do livre pensamento e das mulheres

Helio_Polvora_3_224

Um gole de vinho

Por RODRIGO CASARIN

“Como morrem os nossos escritores”, de Hélio Pólvora, explora os bastidores da literatura

Alberto da Cunha Melo, autor de Poesia completa

O olhar reinventado

Por PERON RIOS

Com linguagem sofisticada, poemas de Alberto da Cunha Melo reproduzem a realidade por meio de imagens e símbolos

Ilustração: Kleverson Mariano

Uma ideia de ensaio (2)

Por Alcir Pécora

O ensaio tem de saber parar antes de tornar-se um método geral de análise