155

David Toscana. Foto: Divulgação

O fascínio do silêncio

Por RAFAEL DYXKLAY

Exclusivo no site

Prateleirinha_março_2013

Por RASCUNHO

O mágico de Oz L. Frank Baum Ilustrações: W. W. Denslow Trad.: Sérgio Flaksman Zahar 224 págs. Após a passagem […]

Witold Gombrowicz. Foto: Divulgação

Cosmos

Por RASCUNHO

O escritor e tradutor Leonardo Villa-Forte indica a leitura do romance de Witold Gombrowicz

Tradução como lembranças de um texto

Por EDUARDO FERREIRA

Volto ao tema das lembranças, reminiscências. Recordar nunca é demais, especialmente quando se fala de tradução. Traduzir é às vezes […]

Ilustração: Troche

A cadeira do pai

Por VINICIUS JATOBÁ

Conto inédito de Vinicius Jatobá

"As imagens do gueto que Sem-Sandberg coloca funcionam como gatilhos de reflexão: levam o leitor, de uma forma muito sintomática, para longe do relato, em direção à Grande História, e não em direção ao exercício de mescla de vozes e temporalidades que poderia estar ocorrendo nas páginas do romance."

Inventário do passado

Por KELVIN FALCÃO KLEIN

“Os destituídos de Lódz” não consegue ultrapassar o exercício básico de ficcionalização da História

quiçá

Contém uma boa história

Por ARTHUR TERTULIANO

Resenha de “Quiçá”, de Luisa Geisler

Michel Houellebecq. Foto: Divulgação

Anatomia de uma lavagem cerebral

Por RAFAEL DYXKLAY

Quem por acaso visitasse Versalhes no ensolarado novembro de 2008 teria uma feliz surpresa: encontraria, entre os retratos de Luís […]

Ilustração: Theo Szczepanski

Dr. Arno e meus 40 anos

Por ROGÉRIO PEREIRA

Na segunda-feira passada, completei quarenta anos. Para comemorar, levei a mãe ao oncologista. Sempre que o rosto ganha uma cor […]

Javier Marías, autor de "Os enamoramentos"

Reinventar-se para um outro

Por GISELE EBERSPÄCHER

Narradora “imprudente” é a chave para Javier Marías conduzir com leveza trama e reflexões sobre morte e paixão

Cíntia Moscovich. Foto: Divulgação

Um tom déjà vu

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Resenha de “Essa coisa brilhante que é a chuva”, de Cíntia Moscovich

Drummond, Lem e a irrealidade cotidiana

Por LUIZ BRAS

Em plena era da teoria das cordas e das próteses neurais, a literatura realista não está com nada. Que coisa […]