Ensaios e Resenhas

Mariana Salomão Carrara, autora de Se Deus me chamar não vou

Tempos sombrios

Por HARON GAMAL

“Se Deus me chamar não vou”, de Mariana Salomão Carrara, trata de temas como solidão, sofrimento e imortalidade

Philip K. Dick, autor de O Homem do Castelo Alto

Quando o gafanhoto se torna pesado

Por Arthur Marchetto

Em “O Homem do Castelo Alto,” Philip K. Dick mostra a importância da arte revolucionária em uma realidade governada pelos Países do Eixo

José Miguel Wisnik, autor de Maquinação do mundo: Drummond e a mineração

O lamaçal de Drummond

Por MARCOS PASCHE

“Maquinação do mundo: Drummond e a mineração,” de José Miguel Wisnik, é uma estupenda realização de crítica literária

Bruno Brum, autor de Tudo pronto para o fim do mundo

Legenda para reler o real

Por Fábio Lucas

“Tudo pronto para o fim do mundo,” de Bruno Brum, traz versos irônicos que reforçam a função crítica da tradição poética

Aleksandr Púchkin, autor de Eugênio Onêguin

Clássico russo absoluto

Por CLAYTON DE SOUZA

Como “Eugênio Onêguin,” Púchkin observa com lirismo e mordacidade a Rússia de seu tempo

Julio_Cortazar_235

De todos os jogos, o Jogo

Por Augusto Guimaraens Cavalcanti

“O jogo da amarelinha”, de Julio Cortázar, é um romance que exige do leitor papel fundamental em sua construção

Veronica Stigger, autora de Sombrio ermo turvo

O som e a palavra

Por GISELE EBERSPÄCHER

Em “Sombrio ermo turvo”, Veronica Stigger segue questionando as noções de gênero literário e interpretação

Leon Tolstói, autor de O que é arte?

A arte do futuro

Por Alan Santiago

Em “O que é arte?”, Leon Tolstói reafirma de modo radical suas ideias em favor de uma produção artística popular e de viés religioso

Daniela Kopsch, autora de O pior dia de todos

Vidas apagadas

Por Faustino Rodrigues

Em romance de estreia, Daniela Kopsch investiga os abismos sociais do Brasil a partir de uma tragédia real

Alexandre Vidal Porto, autor de Cloro

A dor e a delícia de não ser quem se é

Por Carla Bessa

Alexandre Vidal Porto explora os dilemas de uma vida dupla em seu mais recente romance

Annie Ernaux_1_235

O império do autor

Por LUIZ HORÁCIO

Em “Os anos”, Annie Ernaux trabalha com a memória e desafia os limites entre ficção e realidade

Dans la forêt du hameau de Hardt

Perdido na floresta

Por Ary Quintella

Como o diplomata e escritor Ary Quintella encontrou o romance de estreia de Grégory Le Floch em uma “concept store” parisiense