RODRIGO GURGEL

3061472611

Rude e maravilhoso

Por RODRIGO GURGEL

O ensaio Marcha para Oeste, de Cassiano Ricardo, é um diversificado estudo sobre o bandeirismo que dispensa a retórica esnobe

José Geraldo Vieira, autor de A mulher que fugiu de Sodoma

Romance abatido

Por RODRIGO GURGEL

Em busca de concisão, José Geraldo Vieira desfigurou “A mulher que fugiu de Sodoma” ao republicar o romance

Barretto Filho

Romance desencarnado

Por RODRIGO GURGEL

Exímio ensaísta, Barretto Filho naufraga como romancista no prolixo e verboso “Sob o olhar malicioso dos trópicos”

O mirante do Baixo Amazonas

Falso romance

Por RODRIGO GURGEL

“O mirante do Baixo Amazonas”, do paraense Raimundo Morais, apresenta uma narrativa tosca e poluída por discursos enciclopédicos

Guilhermino César

Sem nunca viver

Por RODRIGO GURGEL

O romance Sul, do mineiro Guilhermino César, traz um protagonista atormentado que se embrenha num caminho de ilusão

Telmo Vergara, autor de Na plateia.

Morte sem luta

Por RODRIGO GURGEL

“Estrada perdida”, de Telmo Vergara, é exercício de perfeita composição, no qual o ser humano se oferece à morte por razões fúteis

Fran Martins, autor de Poço dos Paus.

Amostra de vitimismo

Por RODRIGO GURGEL

“Poço dos Paus”, de Fran Martins, não passa de uma redação infantil, às vezes hesitante, com um discurso indireto livre superficial

Viana_moog

Inaceitável desenraizamento

Por RODRIGO GURGEL

A cuidadosa construção de “Um rio imita o Reno”, de Vianna Moog, cria figuras com características particulares e voz própria

Jorge Amado, autor de Capitães da areia

Jorge “Repetidor” Amado

Por RODRIGO GURGEL

No romance “Capitães da areia”, a reiteração se torna um esquema de maçante previsibilidade

Menotti del picchia

Sarcasmo e mediocracia

Por RODRIGO GURGEL

“Cummunká”, romance de Menotti Del Picchia, ri com deliciosa ironia das contradições modernistas da Semana de 22

Orígenes Lessa, autor de O feijão e o sonho.

Narrativa menor

Por RODRIGO GURGEL

Apesar dos bons diálogos, a leitura de “O feijão e o sonho”, de Orígenes Lessa, acaba com um forte sabor de incompletude

Osvaldo_Orico_Seiva_215

Insignificante guia turístico

Por RODRIGO GURGEL

No romance “Seiva”, Osvaldo Orico apenas demonstra eloquência e relata fatos curiosos, folclóricos, da Amazônia