RINALDO DE FERNANDES

Sándor Márai, autor de Veredicto em Canudos

Anotações sobre romances (30)

Por RINALDO DE FERNANDES

O olhar estrangeiro de Sándor Márai sobre o conflito de Canudos

Guerra_canudos

Anotações sobre romances (29)

Por RINALDO DE FERNANDES

Como o romance de Ayrton Marcondes aborda a Guerra de Canudos

guerra canudos

Anotações sobre romances (28)

Por RINALDO DE FERNANDES

Livros que tratam da Guerra de Canudos

Gláucia Lemos

Anotações sobre romances (27)

Por RINALDO DE FERNANDES

  Bichos de conchas, da baiana Gláucia Lemos, obteve, em 2007, o II Prêmio de Literatura da UBE. Tem uma […]

Anotações sobre romances (26)

Por RINALDO DE FERNANDES

Alice, de Quarenta dias, de Maria Valéria Rezende, é uma personagem que tem muita força, notadamente nos primeiros momentos do […]

Anotações sobre romances (25)

Por RINALDO DE FERNANDES

Há, em Quarenta dias, de Maria Valéria Rezende, uma espécie de “elogio da cordialidade”. Alice, embora andando por lugares que […]

Anotações sobre romances (24)

Por RINALDO DE FERNANDES

Em Quarenta dias, de Maria Valéria Rezende, o relato que lemos é, substancialmente, o registro feito pela protagonista-narradora no caderno (com […]

Anotações sobre romances (23)

Por RINALDO DE FERNANDES

Quarenta dias (2014), de Maria Valéria Rezende, paulista radicada há décadas na Paraíba (o texto de orelha informa que ela, em […]

Anotações sobre romances (22)

Por RINALDO DE FERNANDES

Também é instigante este apontamento sobre o “não”, que consta da terceira parte, nas Notas sobre Matteo perdeu o emprego, […]

Anotações sobre romances (21)

Por RINALDO DE FERNANDES

Na segunda parte do livro de Gonçalo M. Tavares, em Matteo perdeu o emprego (que, repita-se, fecha a seção narrativa […]

Anotações sobre romances

Por RINALDO DE FERNANDES

Em termos de conteúdo, o que caracteriza a primeira e a segunda partes de Matteo perdeu o emprego, de Gonçalo […]

Anotações sobre romances (19)

Por RINALDO DE FERNANDES

Matteo perdeu o emprego (2013), do angolano-português Gonçalo M. Tavares, é uma espécie de manual do absurdo. Um livro inteligente, […]