MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

SAO PAULO 13-05-2013 CADERNO 2 Escritor e Professor da USP Luis S. Krausz, autor de Deserto (Benvirá) FOTO Nelson Toledo

Sombras do exílio

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Em prosa enxuta e elegante, “Bazar Paraná” é bem-sucedido ao ampliar as reflexões sobre a temática do êxodo judaico

Rui Mourão, Mergulho na região do espanto

Fantasmas no raso

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Linguagem e estilo tornam romance de Rui Mourão um fardo pesadíssimo para o leitor carregar

Julián Fuks, autor de A resistência

Um irmão possível

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

“A resistência”, de Julián Fuks, é marcado pelo ponto de equilíbrio da frase e pela firmeza aguda do vocábulo

Sem mistérios nem prazer

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Que mistério tem Clarice?, de Sérgio Abranches, não é romance nem ensaio. Não é quase nada

Por_que_ler_contemporaneos_Capa_179

Nem a Wikipédia

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

  Por que ler os contemporâneos? traz, segundo a apresentação da obra, uma reunião de verbetes de 101 prosadores, entre […]

Meninos, eu vi!

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

150 anos da morte do poeta: Gonçalves Dias ajudou a desenvolver a literatura no Brasil pós-Independência

Cristovão_Tezza_1_foto_Guilherme_Pupo_175

Os estragos do tempo

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Em “O professor”, Cristovão Tezza amplifica, pela linguagem, a temática e estrutura iniciadas no romance “Trapo”

Modernidade a meio caminho

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Escrito em 1950, Os escorpiões ganhou em 2013 uma segunda edição pela Companhia Editora de Pernambuco. Vencedor do Prêmio Comemorativo […]

04

Irresistível senhora

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

  Alencar foi hábil construtor do romance indianista, mapeando também, com seu regionalismo, um Brasil que necessitava de exata e […]

Bartolomeu Campos Queirós por Ramon Muniz

Alguns diálogos e muitas dúvidas

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Reunião de ensaios de Bartolomeu Campos de Queirós desaponta com reflexões pouco aprofundadas

Cíntia Moscovich. Foto: Divulgação

Um tom déjà vu

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Resenha de “Essa coisa brilhante que é a chuva”, de Cíntia Moscovich

Sílvio Lancellotti. Foto: Divulgação

Em nome dos pobres leitores

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

Novo romance de Sílvio Lancellotti recai em gratuidades e artificialismo