LUIZ RUFFATO

Ilustração: Dê Almeida

A alegria

Por LUIZ RUFFATO

Conto inédito do livro “A cidade dorme”

Luiz_Ruffato_ilustra_FP_Rodrigues_177

A voz

Por LUIZ RUFFATO

Conto inédito de Luiz Ruffato

Ilustração: Theo Szczepanski

“A literatura pode mudar a sociedade”

Por LUIZ RUFFATO

O que significa ser escritor num país situado na periferia do mundo, onde o termo capitalismo selvagem não é uma metáfora?

Ilustrações: Rafa Camargo

O amor encontrado

Por LUIZ RUFFATO

Dez poemas de Luiz Ruffato

Antologias (2)

Por LUIZ RUFFATO

Passados vinte anos da publicação da primeira antologia de contos brasileiros, vieram a lume duas novas contribuições para a construção […]

Maceió, 1930 (1)

Por LUIZ RUFFATO

Sempre me intrigou o fato de historiadores e críticos literários, engarupados na cronologia, situarem o chamado “Regionalismo de 30” como […]

Maceió, 1930 (2)

Por LUIZ RUFFATO

Se é verdade, como prova com veemência Joaquim Inojosa[1], que Gilberto Freyre (1900-1987), num de seus rasgos de mitomania, inventou […]

Júlia (1)

Por LUIZ RUFFATO

O maior ensinamento que talvez possamos extrair das pesquisas em Física seja o de desmontar, ao longo dos séculos, a […]

Júlia (2)

Por LUIZ RUFFATO

Disse anteriormente que considero Júlia Lopes de Almeida (1862-1934) um dos escritores mais injustiçados da literatura brasileira. E creio mesmo […]

Júlia (3)

Por LUIZ RUFFATO

Tivesse Júlia Lopes de Almeida (1862-1934) se limitado a colaborar em jornais e revistas, sempre defendendo a importância da educação […]

Júlia (final)

Por LUIZ RUFFATO

Podemos afirmar, sem erro, que a publicação de A intrusa, em 1908, encerra a fase mais rica e criativa da […]

A ingratidão cultivada

Por LUIZ RUFFATO

Entre as inúmeras qualidades que nós, os brasileiros, nos atribuímos, não parece estar, definitivamente, a gratidão. Sim, esta afirmação, alguns […]