Dom Casmurro

fevereiro 2012 / Dom Casmurro / Almir Castro Barros

Texto publicado na edição #142

Almir Castro Barros

Enganos Enverdecer calores é mentir, Como igualmente faz quem ri de loucos Dizendo-os chorar. E enquanto difamados, Malucos ressonham marselhesas […]

> Por ALMIR CASTRO BARROS

Ilustrações: Rafa Camargo

Enganos

Enverdecer calores é mentir,
Como igualmente faz quem ri de loucos
Dizendo-os chorar.

E enquanto difamados,
Malucos ressonham marselhesas
No firme e seu caminho — único.

 

Ditadores e seus narcisóides

Magnificar
O quê?

Neles,
A esperança não tem pacto:
Está em seu abecedário.

Nalguns porões,
Bichos já com garras de aço

Aguardam no chão que lhes resta
— Fogo e ordem
Déspota.

 

Retratos — na rua

Ferozes andam todos,
E quando esquecem a própria jaula,
Matam.

Conforme os apetites,
A devoração virá.

Luz nenhuma
Infernizará no remorso, esses,

Contra quem descerá das faixas do céu
Rapinas em multidão — famintas.

 

A Deus, ou
lendo Rilke em Duíno

Dos olhos
E nas águas que eles podem,
Relembro.

Então,
Fecha-se a janela onde estou,
A exigir-me
Contra o inferno dos frios
— Uma coberta.

Print Friendly