Rodapé

fevereiro 2020 / Rodapé / A literatura de informação: instantes (1)

Texto publicado na edição #238

A literatura de informação: instantes (1)

O início da literatura brasileira

> Por RINALDO DE FERNANDES

A origem da Literatura Brasileira está na Carta de Caminha. Do primeiro século de nossa formação literária se projetariam, conforme Antonio Candido e J. Aderaldo Castello, três formas básicas: a crônica histórica (ou literatura de informação); o teatro popular (de tradição medieval); o modelo camoniano (classicismo renascentista). Tomam-se como autores da literatura de informação (da terra e do homem) e dos viajantes (seguem referências bibliográficas mais recentes): 1) Pêro Vaz de Caminha — Carta a el-rei D. Manuel (com estudo de Jaime Cortesão). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1994; 2) Pêro de Magalhães Gandavo — Tratado da terra do Brasil; História da província de Santa Cruz. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1980 (Col. Reconquista do Brasil; nova série, vol. 12); 3) Gabriel Soares de Sousa — Tratado descritivo do Brasil em 1587. 9ª edição, revista e atualizada. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massangana, 2000; 4) Frei Vicente do Salvador — História do Brasil: em que se trata do descobrimento do Brasil, costumes dos naturais, aves, peixes, animais e do mesmo Brasil. Rio de Janeiro: Ponto de Cultura, 2000; 5) Hans Staden — Duas viagens ao Brasil. Trad. Guiomar de Carvalho Franco. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1974 (Col. Reconquista do Brasil; vol. 17); 6) Jean de Léry — Viagem à terra do Brasil. Tradução e notas Sérgio Milliet. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1980 (Col. Reconquista do Brasil; vol. 10); 7) Fernão Cardim — Tratados da terra e gente do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1980 (Col. Reconquista do Brasil; vol. 13).

Print Friendly