Górki, autor de Pequenos-burgueses

A arte como documento

Por FABIO SILVESTRE CARDOSO

Nos últimos anos, analistas políticos, sociólogos, economistas e demais formadores de opinião parecem ter entrado em consenso a propósito da […]

Ilija Trojanow, autor de O colecionador de mundos

Na pele do outro

Por MARIA CÉLIA MARTIRANI

A vida fascinante de Sir Richard Francis Burton, oficial do Exército Britânico, no auge do período colonizador da Inglaterra vitoriana, […]

Teixeira Coelho

Tempos de neve

Por MÁRCIA LÍGIA GUIDIN

O homem que vive, de Teixeira Coelho, é um romance para poucos

Evandro Affonso Ferreira_fechada131

Direito à morte

Por RODRIGO PETRONIO

A escrita de Evandro Affonso Ferreira não quer leitores — exige testemunhas. Pois ela não quer o espectador de uma […]

Marcelo_Coelho_fechada

Fábrica de chocalhos

Por LUÍS HENRIQUE PELLANDA

Gonçalo M. Tavares escreveu certa vez que “as melhores infâncias duram décadas”. Para o escritor e sociólogo Marcelo Coelho — […]

Moacyr Scliar - Paiol Literário_0103

Vidraça_março_2011

Por LUÍS HENRIQUE PELLANDA

MOACYR SCLIAR (1937-2011) Todo autor quer ser elogiado, quer aplauso, quer que os outros digam que ele é inteligente, criativo […]

Paulo_Leminski_131

À cata da palavra brasileira

Por LUIZ GUILHERME BARBOSA

Há livros de restrita circulação por longos anos que insistem em serem bem citados por sua força e importância incomuns, […]

Cristovao_Tezza_3_Guilherme_Pupo_131

O escritor no espelho

Por LUIZ PAULO FACCIOLI

Vou contar o milagre sem contudo dar o nome do santo, e a razão é das mais prosaicas: simplesmente não […]

Ilustrações: Tereza Yamashita

Leitura e educação

Por MÁRCIO SOUZA

Quando li a primeira minuta do projeto do Proler, nos idos dos anos 90, discordei basicamente de duas posições ali […]

Henry_James_131

Romancista incontornável

Por FRANCINE WEISS

    O capítulo III do Livro Décimo Primeiro da obra Os embaixadores, de Henry James, assim se encerra: O […]

Ilustração: Marco Jacobsen

Carvão animal

Por ANA PAULA MAIA

Capítulo 1 No fim tudo o que resta são os dentes. Eles permitem identificar quem você é. O melhor conselho […]

“A literatura é uma prostituta sagrada. Ela se oferece em sacrifício, ela vive esse sacrifício, mas de quem a sacrificou ninguém se lembra. Isso é que é absolutamente fascinante. Chame-se isso deserto, matemática, língua, quixotismo ou loucura.” Marco Lucchesi, em sua participação no Paiol Literário.

Vidraça_abril_2011

Por LUÍS HENRIQUE PELLANDA

  Só pode haver um Tanto se reclamou do Jabuti nos últimos meses que a Câmara Brasileira do Livro capitulou: […]